É possível ser feliz com 6% de gordura no corpo?

Existe uma busca insana pelo corpo perfeito cada vez maior, isso assusta um pouco não é?

Ao mesmo tempo existe um crescente número de pessoas acima do peso e obesas, fato que assusta tanto quanto!

Aristoteles em seus pensamentos disse que a virtude está no equilíbrio! Pois essa é uma máxima que eu sigo.

Já estive dos dois lados, passei por fases da minha vida na qual trabalhava mais que vivia, o trabalho era a grande prioridade na minha vida, além de outros sonhos que tinha como casar, formar uma família, ter filhos, conquistar bens materiais e viajar o mundo. Em determinado momento, abri os olhos, vi que havia conquistado muitas das coisas que queria, mas não era feliz. Eu havia colocado foco demais no trabalho e deixado muitas outras coisas de lado. Uma das coisas que já não me importava era a minha alimentação e minha saúde. Era sedentário e não me alimentava, apenas comia.

Alimentar-se é regido pelo verbo nutrir-se. Quando a gente se alimenta, a gente se preocupa com a qualidade do que comemos e não apenas com o sabor ou prazer que temos ao ingerir alimentos. Comer simplesmente deixa de lado a nutrição e foca no sabor. Como é gostoso comer algo gorduroso, um doce, carboidratos banhados em molhos saborosos não é?

Isso que eu fazia para compensar a falta de prazer em tantos outros aspectos da minha vida que estavam negligenciados.

O mesmo mecanismo muitas vezes se apoia no álcool. Este nos relaxa temporariamente e trás uma sensação de prazer momentânea. Eu bebia todos os dias, ao menos duas cervejas. Note que o consumo de álcool diário, independente da quantidade já representa um nível de alcoolismo. Pois me tornei um viciado em comer e beber, para compensar os buracos que eu mesmo havia criado.
Percebendo tudo isso, olhando no que havia me tornado, um profissional bem sucedido porém nada saudável em vários aspectos, comecei a cutucar vários pontos da minha vida e procurei evoluir.

Um dos primeiros passos foi olhar para mim, repensar meu propósito de vida, meus sonhos, meus objetivos e minhas metas. Passei a olhar tudo que eu tinha de bom e tudo que e precisava melhorar. Um dos pontos mais importantes foi começar a me amar mais, a olhar para mim com menos agressão e mais admiração elevando minha auto-estima, mesmo antes de me tornar no que eu queria.

Busquei mais produtividade no trabalho para não precisar mais gastar todo meu tempo nesse e conseguir cumprir os resultados de forma mais eficaz. Sobrou muito tempo extra e pasme mas os resultados melhoraram e muito.

Esse tempo comecei a aplicar melhor para minha própria família, passei a ser um melhor pai, mais presente, passei a frequentar melhor a família e amigos, passei a exercer melhor a minha espiritualidade, passei a viver mais.

Comecei também a buscar soluções para me alimentar melhor e praticar atividade física. Estava com 21% de gordura, 98 Kilos, envelhecido com 33 anos de idade. Consumido pelas pressões modernas.

Hoje tenho 10% de gordura com 86 Kilos. Cheguei a perder 14 kilos em um momento e depois ganhei massa magra, primeiro de tudo me alimentando melhor, eliminando açúcar bem como melhorando a qualidade dos carboidratos e gorduras. Comecei a fazer crossfit, musculação, correr, andar de bicicleta. Cheguei a ficar neurótico em algum momento e quanto mais perdia, mais queria perder, queria ter um corpo perfeito.

O problema é que a vida moderna nos ataca o tempo todo e ao mesmo tempo complica atingirmos nossos resultados. Ao mesmo tempo que temos que ter, por uma pressão da sociedade e da mídia um corpo perfeito, temos que ser bem sucedidos no trabalho, ser sociáveis, etc, etc, etc. No trabalho tudo é motivo para comer gordices, happy hours, comemorações, na vida social, qualquer encontro é regado por comida e bebida. Entramos em um ciclo desesperador que nos frustra quanto mais resultados temos.

É possível ser feliz com 6% de gordura? Depende. Se o objetivo de vida do indivíduo é esse, sim, é possível, desde que o motivo não seja externo, mas sim interno. Se for pra você e não para provar algo para alguém, sim, podemos ser felizes com 6% de gordura desde que seja conquistado de forma natural e saudável.

Se o motivo para isso for fútil, seja o reconhecimento da sociedade ou a busca insana por sexo, garanto que isto apenas trará infelicidade. Isso porque com este motivador você irá acabar consumido compostos químicos, muitas vezes sem acompanhamento médico ou, ainda com acompanhamento, de forma descoordenada com sua essência. A maior parte dos que buscam este objetivo vem justamente com a busca por compensações fúteis.

Me assusta a quantidade de pessoas que mais e mais consomem compostos químicos anabolizantes sem qualquer conexão com seu interior e especialmente sem acompanhamento médico, isto trará consequências brutais para estes indivíduos.

Também me assusta nas pessoas que jogaram a toalha e utilizam quaisquer desculpas pra estar fora do peso e de forma. Isso não é pra mim! Eu sou feliz gordinho! Eu não como nada, mas mesmo assim não perco peso! Já fiz tudo e nada funciona…
O que é o certo?

O certo é você buscar o mesmo click que eu tive. Parar um pouco, se olhar no espelho, olhar para seu interior e buscar o motivo pelo qual você se cuidaria mais! Um motivo forte e legítimo é talvez 50% do processo.

Feito isso, buscar informação e sempre que possível acompanhamento. Há uma infinidade de linhas por aí e muita informação disponível. Encontre a que te faz mais sentido e seja fiel a ela.

Por último partir para a ação, começar! A inércia já provou que corpos parados permanecem parados e corpos em movimento permanecem em movimento sob uma aceleração constante.

Os primeiros passos são os mais difíceis, mas ao manter a aceleração, constância e disciplina, você repetirá a ação 21 uma vezes e estudos dizem que quanto isso ocorre, você cria hábito. Um hábito saudável que assim como os hábitos não saudáveis que você já tem, você pode agregar a sua vida, bem como eliminar os que já não farão sentido. Uma leitura recomendada alias é “O Poder do hábito” livro que pode ajudá-lo a entender muito esse precioso mecanismo do nosso cérebro.

Hoje não tenho o corpo que gostaria, não tenho o percentual de gordura que queria, tenho ainda hábitos nada saudáveis, mas eu sou feliz! Sou feliz porque sou melhor eu mesmo, sou feliz porque tenho discernimento para saber o que sou, admirar o que sou e o desejo latente de ser melhor.

Sou feliz porque estou conectado à minha essência e faço mais por mim mesmo do que para querer provar algo para alguém e nessa busca sana eu realizo meu propósito de vida, que é ajudar você a ser feliz!

Boas reflexões!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *